BOM DIA

BEM VINDOS AOS BLOGS DOS

INTERNAUTAS MISSIONÁRIOS

SOMOS CATÓLICOS APOSTÓLICOS ROMANOS, MAS RESPEITAMOS TODAS AS RELIGIÕES. CRISTÃS OU NÃO.

CATEQUESE PELA INTERNET

LEIA, ESCUTE, PRATIQUE E ENSINE.

PESQUISAR NESTE BLOG - DIGITE UMA FRASE DE QUALQUER EVANGELHO

Carregando...

11/03/2012

“Jesus Expulsa Demônios” – Claudinei M. Oliveira




Quinta - feira, 15 de março de 2012
Evangelho: Mt  Lc 11, 14-23

            Lindamente o evangelista Lucas nos coloca no centro da discussão  do poder  que vem de Deus. Tudo que é feito a partir dos céus tem força grandiosa. Deus nos revela o quanto é necessário estar ao seu lado para construir a paz e o amor entre as pessoas. O  Reino da justiça está na vivacidade da crença e na fé que vem do Alto, jamais no homem terreno cheio de orgulho que não apresenta o poder misericordioso.
            Jesus estava expulsando um demônio mudo do corpo de um homem. Ele fez com que o encardido deixasse o infeliz em paz. Claro que a multidão que acompanhava ficou assustada, reclamava: como pode um homem comum expulsar um demônio que se apossou do corpo deste sujeito? Só pode que tem parte com o Satanás maior, Belzebu, o príncipe dos demônios!  Veja que a multidão estava diante do Filho do Altíssimo, mas não reconhecia o seu poder e nem entendiam por ignorância do projeto de libertação. Na verdade, a multidão juntamente com muito judeus  queriam encontrar uma maneira de condená-lo. Mas Jesus sabiamente retrucou: “Na verdade é pelo poder de Deus que eu expulso demônios, e isso prova que o Reino de Deus já chegou até vocês”.
            O Reino de Deus era o próprio Jesus. Ele era o salvador que poderia salvar a cegueira, a surdez e as práticas das injustiças do homem. Porém, não conseguiam desvendar as magnitudes de Jesus e pediram sinais do Alto. Contudo, se o homem duvidoso não consegue enxergar as maravilhas feitas por Ele, como seria possível ter fé num pequeno sinal vindo do céu. O próprio Jesus era um sinal vivo da bondade e da misericórdia do Pai, crer Nele já era suficiente para perceber o sinal.
            Mas perguntamos: quem é o demônio hoje que cala o povo de Deus? Será que o encardido existe mesmo com chifres e fica por aí soltando fogo pelas ventas? Claro que o demônio existe. Ele está no meio do povo. Veste-se como povo, anda como o povo, esbanja como o povo, porém reconhecê-lo não é tão difícil assim. Basta prestar atenção nas atitudes de algumas pessoas  e na maneira como trata as pessoas. Suas ações são de justiça ou de injustiça? Caso são ações de injustiça este indivíduo tem fortes sinais do encardido.
            Os demônios de hoje são maléficos em tudo que faz para o povo. Criam situações alegóricas que atrai o povo de Deus para seu lado, insere o mal-estar na família, cria confusão na sociedade, coloca os pais contra os filhos e vice-versa, aliena-se o coitado a consumir produtos da morte (drogas ilícitas e licitas), faz com que as pessoas busquem superar situações de misérias com falsos pensamentos positivos: você pode, você deve, você quer, seja você e faça sua vontade! Depois de arruinado, destruído, sem retorno, abandonam para sempre. Eles já conseguiram desgraçar a vida e o relacionamento. Agora é só aproveitar das tempestades já em andamento.
            Estar com Deus é não deixar que o demônio apareça e cala-te para sempre e nem aproveita das fraquezas, porque não terás fraquezas, terás forças e vigor para aproximar da libertação e viver na paz de Cristo.
            Enfim, temos que expulsar para longe os demônios que aparecem na vida cotidiana. Saber discernir quando chegar perto, pois,  pode ser que venha através de falsa cura, falsa libertação, falso emprego, falsa felicidade, falsa salvação; na verdade o que eles querem é aproveitar da simplicidade do povo e retirar os poucos recursos disponíveis. Tomem cuidados para não deixar cair no colo das tentações, às vezes, o demônio vem bem arrumadinho e perfumado para lhe encantar... Fiquem com o Deus da libertação caros amigos. Amém!
            Abraços. Claudinei M. Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário